Levando a sério o jornalismo 24 horas por dia.

Homicidômetro - Assassinatos no Ceará 2017

4.577

Atualizado em 24/11/2017  

Polícia caça bandidos que mataram outro motorista do Uber na Grande Fortaleza

Uber morte 1

Motorista não teve chance alguma de defesa: nove tiros na cabeça

Com nove tiros de pistola disparados à queima-roupa, todos na cabeça, um motorista do prestador de serviço e aplicativo  Uber foi morto, na noite desta terça-feira (12), na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O crime teve características de uma execução sumária e já está sendo investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e pelos órgãos de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

A vítima do assassinato foi identificada como Marlon John Ribeiro, 35 anos. Na noite desta terça-feira ele apanhou uma passageira e foi deixá-la no Distrito de Pajuçara, em Maracanaú, pertencente à Área Integrada de Segurança Doze (AIS-12). Ao chegar na Rua São Jerônimo, o carro de aluguel foi interceptado pelos criminosos que, provavelmente, estariam em uma motocicleta.  O motorista foi atingido com tiros na cabeça e morreu na direção do veículo. A passageira não foi ferida, sendo testemunhas.

A mulher foi levada pela Polícia Militar para a Delegacia Metropolitana de Maracanaú (plantonista) onde prestou depoimento e foi liberada. No local do crime, a equipe da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) encontrou várias cápsulas de balas de calibre Ponto 40 (.40).  O material foi recolhido nos bancos do veículo, o que revela que o atirador disparou sua arma bem perto da vítima.

Ainda de acordo com a Polícia, o motorista assassinado tinha antecedentes criminais. Respondia por associação para o crime e homicídio, o que reforça a hipótese de um “acerto de contas”.

Segundo caso

Este foi o segundo motorista do serviço e aplicativo Uber assassinado na Grande Fortaleza neste ano. Na noite de 23 de julho passado, o jovem Guilherme e Silva Maia, 22 anos,  foi assassinado, a tiros, na Rua Alameda das Palmeiras, no bairro Ancuri, na Grande Messejana, na Área Integrada de Segurança Três (AIS-3).

Na ocasião, Guilherme voltava de uma corrida que havia feito para uma cliente e, supostamente, não percebeu a ordem de bandidos daquela comunidade para abaixar os vidros do carro. Bandidos dispararam vários tiros, matando Guilherme instantaneamente. Dias depois, suspeitos foram detidos, entre eles, um adolescente, que confessou o crime de assassinato.